quarta-feira, 19 de abril de 2017

LYCOPODIUM CLAVATUM - MATÉRIA MÉDICA







Matéria Médica
Lycopodium Clavatum

Assinatura :
Lycopodium Clavatum,  é um feto herbáceo rasteiro e vivaz, dos bosques pantanosos e rochosos, terrenos acidentados, preferem florestas secas, desenvolvendo-se à sombra de arbustos, rastejando modestamente pelo chão. Pé de lobo ou musgo terrestre, da família das Lycopodiáceas, espalhado por toda a Europa, especialmente na Finlândia, Rússia, Suíça, Alpes e Pirineus, Ásia, América setentrional e África austral. No Brasil é também comum.
Ramificações deitadas no solo, ao passo que os ramos férteis endireitam-se e portam umas espécies de espigas cilíndricas. Estas encerram os esporos, que são de forma tetraédrica por pressão recíproca, agrupados por quatro na célula-mãe, medindo 35 milímetros, apresentando uma linha de sutura. Estes esporos constituem a droga chamada de “pó de Lycopódio”. Este pó é fino, móvel, insípido, de coloração amarelo pálida, flutuando sobre a água, mas absorvendo-se em ebulição; é muito inflamável. Recolhe-se colhendo as espigas um pouco antes de sua maturação completa, fazendo-as secar sobre um papel sacudindo-o fortemente. As sementes são usadas na preparação do medicamento, não absorvem umidade, repelindo-se em água, sendo extremamente duras queimando como uma chama brilhante. Tempo de germinação de 6 a 7 anos, atingindo sua maturidade com capacidade de reprodução depois de 12 a 15 anos(tal qual o homem). Lycopodium perdeu a capacidade de sintetizar clorofila por si, necessitando viver em simbiose. Assim, a dinâmica de vida da planta expressando-se em similitude com o Homem as tendências a secura, dureza com qualidades de combustão ocultas. A semente de Lycopodium é constituída por uma carapaça dura extremamente como a carcaça de orgulho que Lycopodium veste, com um material oleoso internamente, como as pessoas de Lycopodium que são duras por fora e molengas por dentro.

História do Lycopodium Clavatum:
Lycopodium é uma planta que arrasta uma história pregressa de 300 milhões de anos, quando, então, eram árvores imensas com fortes raízes, que foram perdendo sua grandiosidade, reduzindo-se a um insignificante musgo. Em uma época foi um grande arbusto e na atualidade é uma árvore pequenina. Quem sabe, como lembrança de sua antiga grandeza, pretenda ser mais do que é. Este pequeno arbusto se chama “Musgus Lycopodium Clavatum”. Na medicina alopática, antigamente, era conhecido como vulgar polvilho para o bumbum de bebês; é um grão de cor amarela. Visto ao microscópio de 60 aumentos, toma a configuração de um pequeno lobo hepático. É um símbolo, mas em geral o indivíduo Lycopodium, de alguma maneira, adoece de uma disfunção hepática.

Insumo Ativo:
Seus esporos estão cobertos por uma carapaça dura, grossa com uma substância gordurosa interna que se põe em liberdade após triturações seguidas; contendo 47% de um óleo gorduroso de odor agradável, de sabor doce no início, depois acre e amargo. Os alcaloides: Lycopodine e Pilliganine. O  mais tóxico é a Pilliganine, provocando em altas doses, a paralisia dos nervos motores. O pó de Lycopódio é empregado na farmácia alopática como pó, para tratar o intertrigo e para envolver as pílulas evitando colar umas às outras. O espírito analítico da medicina oficial não pode encontrar grande coisa neste remédio, pois ele não é usado na lei dos contrários. Ao contrário, o espírito sintético da homeopatia, encontrou um dos maiores remédios da Matéria Médica.

Ação Geral do Medicamento:
Lycopodium Clavatum está indicado especialmente nas enfermidades crônicas que aumentam progressivamente. Determina enfraquecimento geral, mas afeta principalmente o aparelho digestivo e seus anexos. Atonia gastrintestinal e hepática.
Lycopodium Clavatum age profundamente no organismo, afetando os tecidos moles, vasos sanguíneos, ossos, fígado com falência do tecido hepático, com tendência a necrose inchaços e úlceras, lentificação da função hepática, dispepsia flatulenta, acidez gástrica, cálculos, neoformação vascular, irregularidades circulatória, dilatação dos vasos; coração e articulações. A digestão é lenta e irregular sendo acompanhada com muita flatulência.
O órgão mais tocado é o fígado, órgão direito; e esta predominância concernente ao órgão mais tocado é tal que todos os sintomas acabam por tomar esta lateralidade com extensão secundária ao lado oposto. Assim, quando nos encontramos frente a qualquer afecção que começa do lado direito do corpo, estendendo em seguida ao lado esquerdo, quer que se trate de um mal de garganta, de uma cefaleia, de uma afecção do peito ou abdominal, de uma inflamação dos ovários, etc. Tudo gravita em torno do fígado: insuficiência hepática funcional por distúrbio do sistema venoso portal e insuficiência celular associada. A insuficiência hepática causa: atonias gastrointestinal, hepatovesicular e hipertensão portal, produzindo uma insuficiência digestiva e nutricional, com distúrbio profundo da nutrição com tendência ao emagrecimento e à astenia física e mental. Acúmulo de dejetos por bloqueio dos emunctórios, notadamente real(uremia, hiperazotemia) e cutânea. Alteração crônica das paredes vasculares por depósitos de dejetos metabólicos insuficientemente desintegrados e em particular do colesterol com tendência à ectasia e aos tumores vasculares. Inflamação das mucosas, sobretudo digestivas e respiratórias.


Constituição e Temperamento:
As asas do nariz se movem nos quadros dispneicos em que Lycopodium Clavatum está indicado e esses movimentos são concomitantes com os respiratórios. Os músculos da cabeça e particularmente os da face são agitados por tiques nervosos.
Segundo Kent apresenta as seguintes sensações: indivíduo hipersensível cujos traços da face se contraem pelo menor ruído; quando perturbado vemos uma expressão contrariada; quando sofre, os supercílios se franze, a testa enruga, onde observamos o sofrimento. A pele da face aparece manchas cor de cobre, como as que encontramos nos sifilíticos crônicos.
O ventre é proeminente volumoso, nos dando a impressão de ser o centro do organismo. É no abdômen que se concentra a maior parte dos problemas de Lycopodium Clavatum.
O intestino grosso apresenta-se em alguns lugares com espasmos e em outros dilatado, levando à tensão abdominal. As toxinas são produzidas neste local de estagnação e o fígado, grande e pesado, reage pouco às intoxicações apresentando congestão venosa devida à atonia.

Varizes nos membros inferiores e na parede abdominal, placas azuladas que tendem a ulcerar, são consequência da atonia geral.
O enfermo de Lycopodium Clavatum vai nos mostrar durante o dia os defeitos do seu caráter e os sofrimentos do seu organismo. Pela manhã ao despertar, está mal-humorado, irritado, descontente; repulsa os que se aproximam e estes sintomas aparecem sobretudo neste horário, já que seu sono é ruim. O nariz tapado atrapalha a respiração, as pálpebras grudam, a boca fica seca e amarga tendo náuseas.
Depois para evacuar, novo drama: faz esforços e somente gazes são eliminados; sente como se tivesse uma rolha, fechando completamente o ânus. Esta constipação pode ser substituída por diarreia, sendo muito raro.
As dores de cabeça são frequentes, longas, pulsáteis, congestivas aparecendo por frio, calor, alimentação irregular, agravando das 16:00 às 20:00 horas.
Queda abundante de cabelo, alopecias localizadas. Eczema do couro cabeludo com secreção atrás das orelhas. Cefaleias nos gotosos crônicos, alterna dores nos membros com cefaleia e, se houver eliminação de areia vermelha pela urina, a dor de cabeça e as extremidades melhoram.
A água do banho nunca está suficientemente quente, sendo friorento querendo calor sobre seu corpo sendo a face lavada com água fria.
É um discutidor, respondão, jamais fica satisfeito com as explicações que lhe são dadas. O trabalho não pode ser longo já que o nervosismo e a agitação física o impedem de manter a atenção por um tempo prolongado.
Tem uma sensação de estar com muita fome mas seu apetite desaparece rapidamente, tendo em seguida um mal estar digestivo, durando grande parte do dia. Apresenta muita dor no estômago ao tocá-lo, devendo abrir o cinto e os eructos ácidos lhe dão alívio.
Para auxiliar a digestão difícil faz uma caminhada a pé, já que não gosta muito de andar de carro, pois lhe provoca náuseas. Mas ao iniciar a caminhada as queixas começam; se o ar estiver fresco reclamará que está demasiadamente frio, se estiver quente, reclamará do calor. Alguns passos são suficientes para fatiga-lo; suores e sensação de ardor na palma das mãos e planta dos pés.
Lycopodium Clavatum, é de todos os policrestos, o que tem ação mais longa.

Mitologia: Lobo
A verdade de Lycopodium é o resgate de sua potencialidade, que lhe foi roubada com o passar dos anos (involução da planta); era grande e forte, portanto poderosa, e é atrás deste poder e alimentado pela vontade de subir na vida, crescer na escala social, que encontramos este medicamento.
Luta como um lobo para ter lugar ao sol, afirma-se como alguém forte; não importando quantos pode atropelar ou quanto esta postura pode lhe fazer mal. Por digerir sapos e lagartos no jogo do vale tudo(os fins justificam os meios- Maquiavel), explode sua pressão sanguínea, uma úlcera ou uma litíase biliar. Resgatar seu poder a qualquer custo(desequilíbrio psórico\mental), tendo uma sensação de menos valia, indo à luta na tentativa de recuperar seu poder e sua força, enfim, o poder lhe foi tirado.
Lykaios em Grego significa lobo = Lycopodium (pé de lobo).
Lykaios é uma das formas dadas a Zeus. Zeus se perdia pelas paixões, Lycopodium está no rubro “amorous”(amoroso, conduta sensual); sendo o máximo no Olimpo. Zeus usava de todos os meios possíveis para conseguir o que queria, sendo semelhante a Lycopodium com uma ambição desmedida.
No dicionário de símbolos de Chevalier a respeito do lobo temos: “Representa a força mal contida e mal dirigida gastando-se com furor, porém sem discernimento, chegando a um destino inapropriado”. Vemos em Lycopodium o rubro incapaz de refletir, de discernir, tendo temor em não encontrar seu destino, com uma força mal dirigida, sem capacidade de reflexionar ficando difícil para alcançar seu destino. Avançar com pés de lobo é avançar sem reflexionar.
Lycopodium pode corresponder à psicopatologia se manifestando à partir da adolescência, no momento da confrontação entre uma personalidade juvenil e da sua entrada no período realizador de sua vida.
Para saírem da situação desconfortável de minusvalia vão à luta na tentativa de recuperarem a força, a grandeza, enfim o poder que lhes foi tirado.
Como um lobo, para ter um lugar ao sol e afirmar-se como alguém forte, não importando quantos irá atropelar, vale tudo para chegar ao poder.
Pé de lobo, o mito dos “gigantes”, é um apelo ao heroísmo humano. O “gigante” representa tudo àquilo que o homem tem de vencer para libertar e expandir sua personalidade.
Árvore simbolismo da verticalidade, da perpétua evolução em ascensão ao céu. A árvore da vida é um símbolo da fertilidade.
Nabucodonosor, Rei da Babilônia, teve um sonho e o profeta Daniel foi chamado para interpreta-lo: “Vi uma árvore no meio da terra, cuja altura era grande; crescia esta árvore, e se fazia forte, de maneira que a sua altura chegava até o céu; e foi vista até os confins da terra.” Respondeu Daniel; “A árvore que viste és tu, ó rei que cresceste, e te fizeste forte; a tua grandeza cresceu e chegou até o céu, e o teu domínio até à extremidade da terra”. (Daniel 4: 4,5,10,11,19,20,22)

Atributo Divino Invejado – Invejou a fecundidade de Deus como PAI (PODER e FORÇA).
Não quis ser EDUCADOR, guiar seus filhos, educando-os.
Temas Principais - PAI / FORÇA / PODER / EDUCAÇÃO.
O estereótipo de Lycopodium é do “machão falido”, o macho que perdeu sua virilidade, mas Lycopodium não é apenas um reprodutor, mas um Pai; além de reproduzir-se, ocupa-se de educar os filhos e isto com uma particularidade: para Lycopodium, o mais importante é o ensino das normas morais. Mas a noção da moral, para o bem ou para o mal, seja para impor a moral e as normas morais, seja o abandono das normas morais, está absolutamente consubstanciada com a essência de Lycopodium. É o clássico relato dos pacientes: “Papai era muito rígido, mas era para que fôssemos pessoas honradas. Morreu de câncer há 5 anos, era rígido, mas para o nosso bem, para fazer de nós pessoas corretas”. Este é o interesse de Lycopodium. Ou pode apresentar o extremo oposto: não liga em absoluto para a moral, não educa os filhos e termina abandonando-os. No sentido correto, a palavra que define a Lycopodium é PAI, pai por definição. Não se limita a trazer filhos para o mundo, mas os acompanha, os educa, lhes ensina o caminho. É para se prestar atenção às palavras, porque da noção de moralidade, caminho correto etc., surge imediatamente a noção de dignidade. Por isso é que é tão fácil confundir Lycopodium com Staphisagria. Lycopodium é moral: bons costumes, normas. Staphisagria é dignidade.
Considerações de Guy Loutan: Lycopodium Clavatum encarna a qualidade perfeita, a dignidade do pai, por quem se tem reconhecimento, chora quando alguém lhe agradece. Idealiza o patrão, seu papel diante dos empregados, crianças, doentes. Pai = reprodução, educação. Anti-pai: foge dos filhos, abandona suas responsabilidades. Tem longas querelas mentais com pessoas ausentes, e tende a ter querelas quando está ansioso. A angústia provoca o riso, e a tristeza, mau humor. Invejou a condição de Deus enquanto Pai, de onde a patologia na fecundidade, da relação com os filhos, empregados, mas também da palavra e da vontade, pois a fecundidade perfeita de Deus consiste em sua capacidade imanente de engendrar por seu intelecto, palavra e vontade. Sonha com muitos cachorrinhos que se dependuram nele, enxames, multidões: poderia se dizer a deusa Ártemis com suas inúmeros mamilos; seus filhos são cachorros.
Duvida da capacidade de ser pai em todos os sentidos da palavra: fecundação, educação dos filhos e do próximo. Deve se esconder porque alguém quer matá-lo: escreve uma mensagem de adeus. Ideias que se impõem a ele mesmo durante uma conversa acalorada. Fala bem de temas apaixonantes e até abstratos e confusamente de coisas cotidianas. Sensação de decadência após um fracasso científico ou literário; e de desonra que compensa pela ditadura e tom de comando, o desprezo. Culpa religiosa e com relação ao dever negligenciado: impressão de ter agido mal. Perdeu a dignidade após ter ocupado um posto importante: a paternidade ou o matriarcado. Não podendo mais, através do amor, insuflar o espírito, a coragem ou a energia a alguém, não é mais nada, vulnerável aos outros, em sua saúde, nulidade que tenta esconder. (NBJ X.89, MS V.90) (Loutan, G. Répertoire de Thèmes et de Matière Médicale Dynamique, 2009).
Não pode ser somente reprodutor, tem que ser EDUCADOR. A mulher Lycopodium quer ser PADRE (PAI). Tem que aprender não com sua força física ou impulsividade, mas pela sua vagarosidade.

Em todo ser humano existe, no psíquico, uma oscilação entre a necessidade de dependência, de ajuda, de proteção e o afã de auto afirmação, de triunfo, de competência de rivalidade. É Lycopodium que oferece essa imagem mais perfeita.
A disfunção somática de Lycopodium a minusvalia é a chave de sua personalidade. Este sentimento de inferioridade, imagem de uma diminuição global psicobiológica, exaltando sua agressividade modulada por uma inteligência viva em franca competitividade; está sempre empenhado para mostrar que é melhor que os demais. Sua necessidade de ser o melhor provém do temor  de descobrirem suas fraquezas. É o mais orgulhoso e o mais covarde da matéria médica, sendo o ponto de partida a falta de confiança em si mesmo e sua meta no amor ao poder.
Se dedica a mostrar a si mesmo de que é capaz, e o faz em valoração da competência com os demais. Mostra-se meticuloso, estando sempre ocupado, sempre com antecipação de que as coisas lhe saiam mal. Necessita contradizer ao outro para demonstrar-lhe que é  o melhor, não tolera que o contradigam porque não aceita que o diminuam, tornando-se um ditador sobre seu fundo de insegurança.

Alternância / Bipolaridade
Agressividade e pranto polarizam sua ambivalência.
Êxito e derrota, força e debilidade se inter-relacionam  de tal maneira com uma extrema labilidade afetiva: sente-se desprotegido, sem apoio não gostando de ficar só. Por outro lado, teme as pessoas, pior e melhor estando só, deseja e rechaça companhia. Paradoxo sutil de sua bipolaridade afetiva.
Falta de caráter e a covardia estão no polo oposto de seu pedantismo. Por covardia, reprime sua cólera com dor silenciosa.
Sinais alternantes de irritabilidade e de depressão.
Lycopodium fala de temas elevados e abstratos, se confunde em temas diários; porém na realização de uma prova, entrega quase sempre em branco.

Sintomas Mentais
Adulam e gostam de ser adulados.
Pensa nos feitos desagradáveis acontecidos em sua vida, com a sensação que esqueceu seus deveres. Ansiedade por sua salvação.
Distúrbios de caráter sendo muito nervoso com grande irritação. Hipersensibilidade compensada em agressividade, descompensada em ansiedade com tiques.
Ambição por todos os meios possíveis, avareza inveja e cobiça. Aptidão para as finanças, paixão pelo jogo, agiota. Brigão, indolente, rebelde, passional e colérico.
Deseja o triunfo absoluto sobre os demais; ditador, dominador, quer comandar tudo e todos, adotando uma atitude reativa de altivez, soberba e orgulho.
Antecipação ante qualquer situação, preparando-se com dedicação exaustiva com muito medo do fracasso, do escuro, medo de fantasmas, medo de coisas imaginárias, medo de ficar sozinho, medo de falar em público. Está cheio de temores e apreensões. Se apavora quando lhe é colocado uma atividade a ser efetuada. Temores corem em paralelo com a ansiedade.
Fraqueza de memória, troca palavras, dificuldade de se expressar e de escrita; mente confusa.

Sintomas Emocionais
Super protetor, carinhoso, mas muito “chefe”, afligindo-se pelas coisas que os outros lhe passam, ajudando mas que ao mesmo tempo não toleram que o contradigam, querendo que tudo saia como ele quer.
Chora quando fazem um elogio, quando recebem uma demonstração de afeto, gostam de ser idolatrados, bajulados. Lycopodium quer ser admirado, quer ser querido!

Miasmas
Psora:
Era grandioso e poderoso, sabe de suas fragilidades, de seu fracasso, medo de enfrentar o meio que o rodeia, não confia em sua capacidade.
Amargura psórica, nostálgica de que um dia já foram grandes.
Sicose:
Choro de Lycopodium é quando não chegou a seu destino, quando não consegue ser o que gostaria.
Pode ser o diplomático, gentil, amável com os seus chefes mas com seus subordinados um mandão.
Super exigente consigo mesmo, violentando sua própria natureza, explode sua pressão sanguínea, uma úlcera ou  uma litíase biliar.

Sphylinismo:
 Quando doente, ou numa perda muito grande (trabalho, dinheiro, etc.) sente-se desencorajado, cansado, inconsolável, embotado, insensível aos estímulos externos. Mortifica-se com muita facilidade sem vontade de lutar; fuga de si mesmo, abandona família, lamenta-se de tudo, nada o contenta, abandona a si mesmo.

Sintomas Físicos:
Úlceras e vermelhidão das pálpebras. Hordéolos. Conjuntivite palpebral com vermelhidão e inflamação das pálpebras com secreções purulentas. Hemiopia vertical.
Eczemas secretante ao redor e atrás das orelhas. Otorréia purulenta, amarelada, espessa e irritante. Zumbidos, tinidos e ruídos nos ouvidos.
Herpes crostoso e pruriginoso nas comissuras labiais. Halitose.
Boca e língua secas, sem sede. Saliva salgada. Pequenas bolhas e aftas na língua, com gosto ácido e pútrido.
Lycopodium Clavatum é um bom medicamento para todas as afecções faríngeas, desde uma simples inflamação até a difteria. Vermelhidão persistente das amídalas; inflamação das amídalas com deglutição difícil.
As lesões vão de cima para baixo como difteria começando na parte superior da faringe para alcançar a laringe.
Apetite intenso que é saciado rapidamente. Abdômen inchado e doloroso, mesmo depois de eliminar gazes. Mal estar gástrico imediatamente após comer. Dores ardentes após comer. Pressão no estômago. Grande medicamento para úlceras cancerosas(sulph. Acidum; Kreosotum; Phosp. Acidum; Hydrast. Canadensis; Condurando; Taraxacum; Chel. Majus...); câncer de cólon
Desejo de doces e açúcar. Eructos com queimação no estômago durando horas. Pirose. Digestão difícil. Muita fermentação e borborigmos. Dores como cãibras, contrações abdominais. Crises biliosas.
Constipação; mal funcionamento peristáltico do intestino. Feses duras, difíceis, fragmentadas.
Excessiva quantidade de urina, é clara e com peso específico leve; urina lodosa, com depósito de poeira ou areia vermelha.
É um grande medicamento para cálculos urinários em casos agudos. Cálculos renais, cólica nefrética.
Nos crônicos, quando o indivíduo sente-se melhor e urina mais, com alternância de cefaleia com crises de gota e descarga urática.
Inatividade vesical semelhante a retal. Retenção urinária e enurese. Micção involuntária e dolorosa com febre tifoide ou outras febres graves.
Traço importante é a poliúria noturna. Diabetes.
Impotência sexual ou onanismo. O abuso de masturbação pode causar no indivíduo à fadiga da medula dorsal, do cérebro e dos órgãos genitais.
Verrugas dos genitais, nos condilomas úmidos do pênis. Hipertrofia da próstata.
Secura vaginal, fazendo com que o coito seja doloroso com ardor e queimação.
Ninfomania; varizes vulvares. Fisometria. Psoríase.
Menstruações abundantes, prolongadas, com coágulos escuros.
Antes da menstruação tudo agrava com muita tristeza e melancolia, retenção de líquido, dores nas costas.  Pálida e fraca antes da menstruação Supressão da menstruação após um susto, um choque. Metrorragia na menopausa.
Lycopodium Clavatum está indicado nas jovens durante a puberdade, quando não menstruam, pouco desenvolvimento dos seios sem ovulação.
Leucorréia leitosa, amarelada, corrosiva e sanguinolenta. Inflamação e nevralgias ovarianas.
Catarro no nariz com secreção crônica. O indivíduo respira com a boca aberta, sobretudo à noite. ; hipersensibilidade do olfato.
Catarro nasal mucoso associado à cefaleia, tendo a face enrugada, prematuramente envelhecido. O pescoço e a parte superior do corpo estão emagrecidos mas o abdômen e os membros inferiores não. Muco espesso. Afecções pulmonares, asma, pneumonia direita, respiração curta; dispneia com batimentos das asas do nariz afecções catarrais do peito, afecções cerebrais e abdominais. Os resfriados complicam com alterações pulmonares; dor violenta no peito. Palpitações cardíacas durante a digestão. Pulso fraco e acelerado.Pode ser útil nos casos de aneurismas arteriais. Varizes nas pernas.
Laringe seca, rouquidão; úlceras das cordas vocais; tosse seca, insuportável, piorando pela respiração profunda pela deglutição da saliva.
Sensação de ardor entre as omoplatas. Fraquezas dos membros, tremores espasmódicos, contraturas musculares. Tremores generalizados ou localizados. Cãibras nas panturrilhas. Dores desgarrantes nas articulações do cotovelo e do ombro. Rigidez artrítica do cotovelo e punho. Gota crônica com depósito calcário nas articulações. Dores rasgantes ao longo do ciático, ardentes, em pontadas. O indivíduo se sente fraco com dificuldade de ficar em pé. As dores melhoram pelo movimento e pioram pelo repouso(comparte com Rhus Tox.)
Um pé quente e outro frio. Este sintoma é especial e característico deste medicamento.
Suores frios e abundantes nos pés. Eczemas dos membros inferiores.
Febres com calafrios, com suores abundantes, muitas vezes acompanhado de vômitos ácidos. Pulso acelerado, frio como gelo. Febre de escarlatina, tifoide, meningite cérebro espinhal, pneumonia.

“Você sabe com quem está falando?
O Senhor Lycopodium Clavatum”.

Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata























Nenhum comentário:

Postar um comentário

CICUTA VIROSA

São três as cicutas: Cicuta virosa ou Aquática(salsa dos loucos); o Conium Maculatum (Cicuta officinalis) e Aethusa sinapium...