quinta-feira, 24 de abril de 2014

NATRUM MURIATICUM







                                                                               
SÓDIO

Na antiguidade o carbonato de sódio natural era denominado “trona” ou “neter”, do qual vem do termo grego “nitron” e o latino “nitrum”, que na Idade Média os alquimistas tornaram  “natron”.
O sódio é um dos principais  componentes do meio interno. Do ponto de vista metabólico, é o elemento mais importante na manutenção da pressão osmótica do meio interno, condicionando, assim, a distribuição da água nos compartimentos orgânicos. Por esse motivo, nas patogenesias dos sais de sódio encontram-se numerosos sintomas que denotam uma deficiência na difusão, distribuição e dinâmica dos líquidos (desidratação x edema). Igualmente isso explica a sensibilidade à umidade e salinidade exteriores.
No equilíbrio com o potássio (Kali), é um elemento essencial no funcionamento de todas as membranas celulares, por intermédio da bomba de sódio-potássio que, por um lado, assegura a nutrição celular, e, pelo outro, a polarização e despolarização da membrana, elemento fundamental da dinâmica celular. O sódio, representa uma interface entre o metabolismo celular e as funções correspondentes às células. Igualmente representa a interface que permite a relação entre o interior e o exterior , tanto no âmbito celular, como no organismo em sua totalidade.

Compostos Homeopáticos de sódio:

Relação com a fase hídrica: da desidratação acentuada à hiper-hidratação, com retenção e embebimento tissular (hidrogenoidismo). A imagem da intoxicação por sódio é a que resulta do excesso de hidratação, levando a síndrome de intoxicação hídrica. No outro extremo, há a desidratação hipotônica.

Estabilidade: embora como elemento químico o sódio seja instável, sua combinação resulta em compostos estáveis, o que se manifesta nas patogenesias, inclusive no nível psíquico e social.

Sensibilidade aos fatores do meio: interno ou externo; é uma característica presente em todos os compostos de sódio: temperatura, exposição ao sol, umidade, etc.
Sensibilidade aos fatores alimentares: particularmente sal e farináceos (ricos em sódio). A alimentação com muitos aspectos paradoxais, é  um  dos fatores de desequilíbrio. Astenia com irritabilidade.
Do ponto de vista Miasmático , o sódio imprime uma tendência tuberculínica podendo evoluir para a sicose em função da idade, fatores do meio interno e externo.
Na maioria dos sais de sódio, há tropismo pelo sistema respiratório e pelo metabolismo. Por isso, virtualmente todos os medicamentos produzem numerosas formas de catarro, inflamações bronquiais ou pulmonares, junto a uma tendência para alterar o metabolismo, da emaciação extrema (Natrum mur.) à obesidade e diabete (Natrum sulf.)

Raiz Sódica ( Natrum)
Depressão, fraqueza e irritabilidade
Forte sentimento do Dever, com intensas preocupações pelos familioares.
Ansiedade pela manhã e medos.
A música agrava os sintomas mentais
Sede intensa
Agravação por alimentos e bebidas frias.
Sensibilidade e agravação pelo frio, aversão ao frio, mas ao mesmo tempo pelo calor excessivo e pela luz solar.
Sensibilidade às correntes de ar, às mudanças de tempo para frio e umidade.
Sensibilidade e agravação pelo barulho.
Intensa sensibilidade digestiva, especialmente ao leite.
Agravação pelo movimento e pelo esforço mental
Um sintoma curioso, apresentado por quase todos os sais de sódio, é “fraqueza dos tornozelos”.




NATRUM MURIATICUM


O medicamento é obtido à partir do sal de cozinha extraído das salinas. É uma substância mineral complexa, composta quase exclusivamente de cloreto de sódio (99,5%), porém também contém pequenas quantidades de cloreto de potássio, magnésio e traços de cálcio, alumínio e de outros metais. Existe um medicamento quase idêntico, extraído por evaporação da água do mar, Sal Marinum.

Seu principal papel fisiológico no organismo é manter a constância do meio interno e a pressão osmótica. O líquido extracelular tem um elevado conteúdo de íons de sódio, cloro e bicarbonato, enquanto o intracelular tem íons de potássio, magnésio e fosfato. Por isso, a solução salina do meio interno mantém a morfologia celular e participa do equilíbrio ácido – base pelo intercâmbio do sódio tissular e celular. Num meio excessivamente hipertônico, as células perdem água e ressecam; num meio hipotônico, a pressão intracelular é maior que a extracelular, aparecendo embebimento e edema. Como função do conteúdo de sal do meio extracelular, a célula torna-se hidrófila ou hidrófoba, pelos mecanismos osmóticos de transferência de água.
No âmbito do organismo, no excesso salino aparece hipertonia circulatória com desidratação celular; no déficit, hipotonia plasmática com imbibição tissular e edema. Os mecanismos de regulação osmótica são muito estáveis, mas ao mesmo tempo, muito sensíveis, e o organismo reage às mínimas variações na salinidade do meio interno pelos osmorreceptores, que desencadeiam mecanismos complexos de feedback humorais e hormonais.
O sal é um fator importante na regulação da pressão arterial. Quando há excesso de sal, a osmolaridade dos líquidos orgânicos aumenta, estimulando o centro da sede e produzindo maior ingestão de água, a fim de diluir o cloreto de sódio extracelular. Igualmente é estimulado o sistema secretor hipotálamo-hipófise posterior, com aumento na liberação de hormônio antidiurético, produzindo aumento na reabsorção renal de água, diminuição do débito urinário e aumento do volume do líquido extracelular.

Hahnemann: “ Se é verdade que as substâncias capazes de curar enfermidades são capazes de produzir enfermidades semelhantes em organismos sãos, é difícil compreender como todas as nações, haviam usado o sal em grande quantidade sem experimentar nenhum efeito deletério proveniente do seu uso... Considerando que o sal, quando empregado comumente, não tem nenhum efeito pernicioso, não deveríamos esperar nenhuma influência curativa nesta substância. Sem dúvida o sal contém os mais maravilhosos poderes curativos em estado latente.
A transmutação que a substância sofre, pelo peculiar processo de preparação  adotado na homeopatia, trituração e sucução, traz à luz um novo  mundo de poderes que a natureza mantém latente, nas substâncias naturais. Estes processos operam por assim dizer, uma nova criação.”

Na Criança

Normalmente são crianças abaixo do peso, com aspecto frágil, membros fracos e longos, porém são dinâmicas e resistentes.
No primeiro contato são difíceis de abordar, não tanto por timidez mas porque não gostam de ser perturbadas e precisam de um tempo para vencer sua suspicácia. Embora sejam curiosas, não se metem nos assuntos de outros e nem gostam que os outros interfiram com os próprios. Por isso, por vezes são crianças solitárias, com dificuldade para se relacionar com estranhos. Geralmente demoram a começar a falar, mas quando o fazem falam corretamente. Essa demora não é causada por retraso , mas por contração, timidez e, mais especificamente, por medo de errar. Parecem torpes por causa da pressa e não por falta de coordenação.
Assim, curiosamente o bebê, tarda a aprender a falar, porque efetivamente está disposto a encerra-se. É uma criança que rechaça as carícias, que é uma expressão física do não querer ser tocado ou consolado, pois guarda rancor após uma contradição ; recusando portanto o beijo da boa paz, pois permanece numa guerra interna. “Conserva seus Pesares”.
Pele é geralmente seca com pergaminhos, apresentando dobras cutâneas. Mãos secas , lábios secos, com pequenas escamas secas, favorecendo o aparecimento de rachaduras. Ficam umedecendo os lábios com a língua o tempo todo, fazendo aparecer vermelhidão e tumefação; podendo também ter a língua aspecto geográfico.
O apetite é arbitrário com a preferência de alimentos salgados, salgadinhos. Algumas crianças tem desejo de pão chegando a substituir a refeição. A sede é constante.
Sensibilidade ao frio, nas correntes de ar, apresentam com facilidade catarros respiratórios, e na adolescência podendo apresentar rinite vasomotora. São muito sensíveis ao calor , especialmente ao sol, apresentando insolação e cefaleia característica. Não suportam quartos quentes nem frio excessivo, especialmente nos pés.
Tendência geral para constipação, por inibição, não querem ser olhadas.
Cefaléia escolar por causa do cansaço e por exagerado sentido do dever; autoexigentes, “sentido exagerado do dever” em suas tarefas e com sua família. Os Pais os descrevem como: “crianças em que se podem confiar”.
Choram facilmente, mas não em frente a outras pessoas. Crianças com os olhos vermelhos por chorar em solidão, param de chorar assim que aparece alguém. Se erram por exemplo, numa apresentação escolar, não choram no palco como em Pulsatilla, Silicea ou Staphysagria; mas se trancam no quarto. Se consoladas, os olhos se enchem de lágrimas, como se o consolo fosse uma fonte de infelicidade.
Esta criança que não se sente compreendida, à qual falta o entendimento de sua necessidade de afirmar-se, de manifestar-se , vai repetir na sua juventude todos os fenômenos relacionados às perdas afetivas ou amores contrariados. E no fundo o que são esse afetos contrariados?
Em sua evolução, os primeiros afetos são os Pais. Existe uma simbiose da filha com o pai e do filho com a mãe.
Este jovem irá buscar fora de casa alguém que lhe satisfaça todas as necessidades infantis. É muito típico naquela jovenzinha que sonha com o príncipe encantado (Cinderela). Mas em Natrum Muriaticum, isso acontece de uma forma deformada, como tudo que faz, no fundo acaba sempre por destruí-lo internamente.
Busca sempre relações afetivas muito raras que o comprometem e o destróem. Muda de uma relação a outra permanentemente, são os filhos que dão dores de cabeça aos pais.
Essa atitude revela uma rebeldia muito marcada que é típica de Natrum Muriaticum.
Que faz esse personagem quando está com raiva por não lhe darem afeto? Volta-se para dentro. É uma das formas de fugir das pessoas, buscando a solidão. É um grande solitário, gosta de estar só. Quando os demais lhe perguntam: O que você tem? Ou o que se passa? É tão grande sua raiva que é como se dissesse: “Não, não. Eu não aceito nada, porque quando era pra você me dar algo, não me deu, não recebi nada!
Agrava pelo Consolo.
Vamos ter um indivíduo irritado, impetuoso, colérico, impulsivo e sofrendo silenciosamente. Pena silenciosa assim como Ignatia e Pulsatilla.

Como na infância, a maioria dos adolescentes Natrum Muriaticum passa por um período de tuberculinismo, estando mais expostos então às afecções respiratórias.
Na puberdade, aparece acne com aspecto característico , na testa e na implantação do cabelo. O rosto é oleoso, com pústulas passando a impressão de pele rugosa ao toque. O rosto torna-se vermelho por emoções ou por raiva e transpira facilmente. Acentuam-se às tendências alérgicas, sendo um dos medicamentos mais frequentes na rinite vasomotora do adolescente ou originada na adolescência.
Por causa das dificuldades de relacionamento, e porque acham poucas pessoas que respondam às suas necessidades afetivas, não tem muita amizade, nem sequer “um amigo de confiança”; pelo recalque dos sentimentos e pela grande “sensibilidade a desapontamentos amorosos, sofrem longamente sem consolo, ou tem prazer em amores impossíveis, que ruminam infindavelmente e causam infelicidade. Desenvolvem facilmente complexo de inferioridade por causa de seus sentimentos de insegurança e autodesvalorização, procurando super compensar por intensos esforços de vontade, para os que tem a maior disposição.
A dificuldade de relacionamento alcança os pais e parentes. Não se manifesta visivelmente, mas pelo sentimento de não serem compreendidos, de que não gostam deles, tendo muitas vezes complexo de feiúra .Apesar da falta de comunicabilidade, estão prontos a oferecer sua amizade. Outras vezes na época da puberdade pode aflorar sentimento profundo de frustação, carregado desde a infância, tornando-se então furiosos contra si mesmo e contra o mundo. A raiva os torna “adolescentes rebeldes”, especialmente em relação aos pais(quem está mais próximo).
Em situação de crise podem apresentar anorexia nervosa; facilmente com vômitos pós-prandiais, mas frequentemente determinada a desilusão sentimental.
A maior parte dos conflitos básicos do ser humano estão na sua necessidade instintiva de afirmação. Se a criança Natrum Muriaticum, não recebe afeto na medida necessária para a sua idiossincrasia, sofre com isso uma frustração que interfere no seu desenvolvimento, implicando em falta de segurança e de autonomia, capacidade de valorizar-se e de ser independente; com isso, ela carregará consigo, relembrando e remoendo sempre. O Sal é um Conservante, os indivíduos Natrum Muriaticum quando sofrem algumas emoções e decepções, as guardam dentro de si, para serem curtidas. Isso se vê nas crianças que exigem muito mais do que lhes é dado, acontece frequentemente quando nasce um irmão e com ele, o ciúmes. Natrum Muriaticum é muito ciumento entre amigos ou irmãos, porque logicamente é o irmãozinho que vai disputar o trono que ele tinha até este momento. O que faz então nesta situação? A criança de Natrum muriaticum busca o afeto, quer que o dêem, mas quando pensa que não estão dando o que deveriam dar, imediatamente reprime-se, porque sua primeira reação ante a frustração do afeto é irritar-se para conseguir o que quer e exercer alguma agressão. Cria-se a patologia quando a agressão se torna exagerada.
A criança Natrum Muriaticum necessita ser querida, necessita que o adotem. Tem medo de não ser querida, que a deixem, então reprimem-se ficando com fixação nestas sensações desagradáveis que ocorreram em sua vida.



Adulto
O medicamento persiste como um dos remédios tipológicos mais importantes, e um grande medicamento conjuntural nos estados de somatização de sofrimento psíquico ligados à desapontamento, frustrações e solidão.
É seguramente, com a sociedade atual cada vez mais agressiva e competitiva, o remédio mais importante e destacado da Matéria Médica em problemas e afecções de toda ordem, de origem emocional e transtornos que se manifestam ou se exteriorizam principalmente na esfera espiritual. Toda a vasta gama do psicossomatismo encontra neste remédio um dos principais e fundamentais agentes terapêuticos. As emoções patológicas mais frequentes em que Natrum Muriaticum atua com um efeito corretor são os pesares, as decepções ou frustrações, a ira (mesmo a reprimida), as más notícias, um amor não correspondido, rejeitado, contrariado ou pela perda do objeto de seu amor (mesmo por causa de morte), as mortificações prolongadas e cotidianas, um fracasso nos negócios, em suas ocupações ou em seus estudos, as preocupações, discórdia com pais, filhos ou amigos, um susto a ser desprezado, a rudeza dos outros e qualquer tipo de emoção ou excitação. Geralmente a indicação surge, principalmente, quando os fatores emocionais  mencionados são de incidência reiterada e prolongada e não muito recentes, já que no caso agudo (ou no momento agudo), o medicamento habitual, na maioria das vezes, costuma ser Ignatia.
Uma das formas de se manifestar seus sentimentos, afetados pela noxa emocional ou sem nenhuma causa visível, é mediante uma profunda tristeza, tormento ou aflição que, em geral, é silenciosa, não demonstrativa, já que o habitual é que não possa chorar.Cansaço pela vida, vontade de morrer, descontente com tudo, antes da menstruação, fome canina, sem vontade de nada, aborrecido da vida, inconsolável podendo chegar a uma indiferença a tudo que é prazeroso: às suas tarefas a comer ao bem estar de todos; podendo existir alegria ou bom humor (alternando com tristeza), alterando risada com choro.
Em outros casos, a resposta as noxas emocionais se orienta a um profundo ressentimento em relação àquelas pessoas que considera, com fundamento ou não, como causadoras de seus problemas, chegando na maioria das vezes a uma aversão e em maior grau ao ódio, com ideias de revanche, principalmente com aqueles que o ofenderam. Se não consegue expressar seu ressentimento, este permanece na esfera de seus pensamentos, que giram sempre ao redor do mesmo tema, verdadeira ideia fixa, persistente e desagradável, que o prende e o atormenta. Expressa seu ressentimento, o faz de viva voz, lembrando e voltando constantemente sobre o mesmo tema (fatos desagradáveis antigos), chorando ao lembrar deles e reprovando violentamente; é uma verdadeira ruminação mental.
É um cliente de choro fácil que, quase inevitavelmente, chora durante a consulta, principalmente ao relatar os problemas que viveu ou vive. Não consegue controlar seu pranto, que é involuntário, mas a todo custo, trata de não chorar na frente dos outros, preferindo chorar quando está sozinho porque o consolo o piora.
É também um dos clientes que é intenso o desejo de solidão; tem uma verdadeira aversão à companhia, fica melhor sozinho(gosta de ficar sozinho). É muito reservado, taciturno, piora pela conversação. Falar produz esgotamento mental, tendo aversão a responder. Tímido.
Sobressalta-se facilmente, principalmente por susto, ruídos bruscos. Antes de dormir ou dormindo e às vezes, como por uma sensação eletricidade que o acorda, como se viesse dos pés. É assustadiço, piora à noite e ao acordar. Hipersensível à música e aos ruídos.
Tem medo de escuridão, ladrão, tempestade, multidão; de perder a razão, de morrer, das doenças, dos fracassos, da desgraça, de pessoas de ser envenenado, como se algo fosse acontecer; dos homens e de ir dormir. Na Menstruação tudo se acentua e  acompanha  por tristezas e palpitações. É acometido por ansiedade com angústia, piorando ao anoitecer. Ansiedade hipocondríaca, ansiedade de consciência um forte sentimento de culpa. Se desespera pelo futuro e por sua salvação.
Intelectualmente, tem dificuldade para pensar e compreender, concentra-se com dificuldade. Confusão mental, piorando pelos esforços mentais. Pode haver um déficit de ideias ou até uma imbecilidade ou graus diversos de oligofrenia.
Pela manhã é muito irritável, não tolera ser consolado.
Outras características mentais: Ciúmes, falta de confiança em si mesmo, desdenhoso, arrogante, nostálgico, imprevisível, indeciso, cleptomania, cheio de preocupações e com isso se atormenta.

Olhos:

Pálpebras vermelhas e ulceradas, que grudam à noite. Os olhos fecham espasmodicamente, tendo a sensação de que se juntam e estão maiores como se estivessem comprimidos. Paralisia do reto interno, estrabismo, principalmente divergente, rigidez ou dificuldade nos movimentos dos globos oculares. Hiperestesia retiniana. Conjuntivas injetadas. Olhos salientes. Veias marcadas nas pálpebras. Erupções nas sobrancelhas, que picam. Fendas no canto externo do olho. Catarata. Lacrimejamento intenso (muitas vezes intenso), as lágrimas escorrem pelo rosto ao tossir(era o sintoma chave de Burnett na coqueluche). Dor nos olhos pelo esforço visual, quando olha fixamente, lendo ou escrevendo.
Sede extrema de grandes quantidades por vez. Indigestão a farináceos. Pirose que sobe. Náuseas. Arrotos com gosto de comida. Fome intensa sem apetite. Anorexia. Vômitos biliosos. Pressão no estômago.
Insônia por causa de aflições ou por uma atividade mental; não consegue dormir depois que acorda. Dificuldade para acordar pela manhã.
Tremor das mãos, articulações inchadas, peso nas pernas.
Friorento, falta de calor vital, apesar de esgotar-se com o calor, com o sol e no verão.
Por ter um grande potencial afetivo e um déficit de assimilação, tem necessidade e insatisfação que se incrementam.
Vemos um exemplo a nível de estômago, que podemos encontrar também a nível mental com as mesmas conotações.
Aversão a comida e com fome e perda do apetite. Vemos a necessidade de um lado e a incapacidade de gratificar-se do outro. Natrum Muriaticum não está apenas descontente consigo mesmo, está descontente com tudo.
Como um bom sujeito que necessita de sal e mar, Natrum Muriaticum gosta de produtos do mar. Tem desejos de mariscos. As ostras, os mariscos, os pescados o encantam.
O indivíduo muitas vezes roubam sal, gostam de sentir o gosto de sal na boca.

Quando viemos ao mundo, quando a vida se desenvolveu-se na Terra, a vida nasceu na água e depois saiu para a terra. Continuamos todos a viver na água. Não existe nenhuma parte viva do ser humano em contato com o ar. As mucosas estão banhadas em líquidos e a pele está coberta por uma capa córnea morta que renova-se permanentemente. Nossa vida desenvolve-se em meio aquoso. O elemento vital deste meio aquoso é o cloreto de sódio. O líquido amniótico, em que está banhando o bebê, é seu elemento de contexto com a vida, quando o retiram deste líquido estão separando o indivíduo do meio. O ser humano para viver necessita deste meio aquoso, do meio salino e, também, necessita de um elemento muito importante que é o afeto, o calor afetivo.
Esta necessidade de água e sal que tem o indivíduo de Natrum Muriaticum cujo metabolismo é alterado, também terá alteração na dinâmica de suas necessidades afetivas com o mundo que o rodeia. Ele necessita quantidade exageradas de água e sal, assim como necessita de quantidade exagerada de afeto.
Ao tomar o medicamento Natrum muriaticum o indivíduo se equilibra em suas emoções internas e externas, obtendo uma qualidade de vida, com um propósito maior nos altos fins de sua existência.

Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata
E
Hipnóloga Condicionativa
Coordenadora do Curso de Homeopatia em São Paulo















  

PHOSPHORUS Phosphorus é um corpo simples da família dos metaloides, que extraímos dos ossos calcinados pelo processo...