sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Pensamento/Emoção/Energia

                                                       

Pensamento / Emoção/ Energia

[...Uma emoção representa um padrão de pensamento amplificado ao qual foi incutida energia e, por causa da sua carga energética, muitas vezes irresistível, ao princípio não será fácil estar-se suficientemente presente para poder observá-la com atenção. Ela quer dominá-lo e geralmente consegue-o – a menos que você esteja verdadeiramente presente. Se for forçado a identificar-se inconscientemente com a emoção, por não estar suficiente presente, o que é normal, a emoção torna-se temporariamente o seu eu. Muitas vezes estabelece-se um círculo vicioso entre o pensamento e a emoção: alimentam-se mutuamente. O padrão de pensamento cria um reflexo ampliado de si próprio na forma de uma emoção, e a frequência vibratória da emoção continua a alimentar o padrão de pensamento original. Quando você se fixa mentalmente numa situação, num acontecimento ou numa pessoa que é a causa perceptível da emoção, o pensamento incute energia à emoção, que por sua vez incute energia ao padrão de pensamento, e assim por diante....]

Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata

Uma Pequena História...


                                     
Uma Pequena História....

Christian Friedrich Samuel Hahnemann nasceu em Meissen, Saxônia, em 10 de abril de 1755. Meissen,
fundada em 929 no leste da Alemanha, ficou luterana no século XVI e era bastante afamada pela porcelana
no séc. XVIII.
O pai de Hahnemann, Christian Gottfried, artesão na arte da porcelana, possuía uma forte convicção no
luteranismo.
Durante a Guerra dos 7 anos (1756 - 1763), Frederico II invadiu a Saxônia e determinou o fechamento da
fábrica de porcelana em Meissen, transferindo-a para Berlim. Assim, o pai de Hahnemann perdeu sua
atividade econômica, o que resultou numa educação conturbada.
Hahnemann teve sua educação primária em casa. Aos 12 anos (1767) começou a freqüentar a escola
primária, porém, de maneira irregular.
Com 15 anos (1770), com a proteção do duque da Saxônia, ele matriculou-se na escola do principado. Nos
4 anos que permaneceu lá, aprendeu línguas, matemática, geometria e botânica. No fim do curso, escreveu
uma tese em latim sobre a anatomia da mão humana, mostrando sua tendência para medicina.
Aos 20 anos (1775) foi estudar medicina na universidade de Leipzig, sustentando-se com aulas de
francês/alemão e traduzindo do grego e do inglês.
Como a faculdade de Leipzig não oferecia a possibilidade da prática médica em hospitais, com a proteção
do Dr. Joseph von Quarin (médico da imperatriz Maria Theresa), muda-se em 1776 para Viena, estudando e
praticando no Hospital dos Irmãos Misericordiosos.
Após 9 meses, vendo-se sem condições financeiras de sustentar-se, pela influência do Dr. Quarin, o
governador da Transilvânia, barão Samuel von Brunkenthal, o empregou como médico da família e diretor
da biblioteca. Hahnemann permaneceu 1 ano e 9 meses em Hermanstadt, época em que entrara na
Maçonaria.
Em 1779 muda-se para Erlagen para concluir sua formação acadêmica. A universidade de Erlagen era
considerada anti-ortodoxa. Era a sede do movimento "Aufklärung" (esclarecimento), que tinha suas raízes no
pensamento de intelectuais como Goethe, Shiller e Lessing.
Formou-se em 1779, com a apresentação da tese "A cãibra, suas causas e tratamento".
Após formado mudou-se para Hettstedt, porém, não permaneceu mais que 9 meses, mudando-se para
Dassau.
Em Dassau Hahnemann apaixona-se pela Química, mas também pela "Naturphilosophie", filosofia de
Scheeling com caráter mais pagão que cristão.
Em 1781, casa-se com Joana Henriete Leopoldine Kuchler, filha do farmacêutico da cidade, e um ano
depois, muda-se para Gomern, onde sua prática médica foi um fracasso. O povo preferia os remédios
caseiros e as bruxarias. Lá, ele publica seu primeiro trabalho: "Diretrizes para a cura de velhas feridas e
úlceras". Em 1785, muda-se para Dresden, capital da Saxônia, onde vive por mais de 4 anos fazendo
traduções e com um cargo público, onde supervisionava parteiras e cirurgiões, e cuidava de órfãos, de
prisioneiros, da prevenção de doenças e da realização de exames post-mortem. Em 1789, retorna a Leipzig.
Desiludido pela prática médica vigente, ele não pratica a Medicina. Impossibilitado de sustentar-se em
Dresden, tem uma vida errante por cerca de 12 vilas entre 1789 e 1805. Nesta época escreve o livro "O amigo da saúde", onde ele protesta contra os métodos da Medicina, principalmente nos casos de loucura.

Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata

Reflexão

                                           

Para Refletir....

Eis o problema: a maioria das pessoas pensa no
que não quer e se pergunta por que é que isso
sempre acontece.
O único motivo por que as pessoas não têm o que desejam é que
elas pensam mais no que não desejam do que naquilo que de
fato desejam. Ouça seus pensamentos e as palavras que você
está dizendo. A lei é absoluta, e não existem erros.

Se você se queixar, a lei da atração trará para sua vida mais
situações sobre as quais se queixar. Se você ouve a queixa de
outra pessoa e se concentra naquilo, se solidariza com a pessoa,
concorda com ela, naquele momento você está atraindo para si
mais situações sobre as quais se queixar.
A lei está refletindo e devolvendo a você exatamente aquilo em
que você está se concentrando. Com esse poderoso
conhecimento, você pode mudar por completo qualquer
circunstância e acontecimento em toda a sua vida, ao mudar seu
modo de pensar.

Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata

CANCRO, O MAL DO SÉCULO!

Começo minha explanação sobre o ser humano, onde fazemos parte da humanidade e somos compostos por órgãos que por sua vez, é...