terça-feira, 10 de janeiro de 2012

O SER HUMANO COMO UMA TOTALIDADE INTEGRADA


                                                                      

Enquanto o organismo funciona como uma totalidade; é verdade que a perda de memória (plano mental) representa um estado de saúde inferior ao da depressão(plano emocional)? Um estado de irritabilidade é mais grave do que um ferimento no cérebro(plano físico)?
Em favor da simplicidade, a hierarquia tem sido apresentada há muito como uma descrição unidimensional, linear(em duas dimensões, considerando-se os conceitos de importância das camadas central e periférica). Na realidade a relação dos três níveis é mais complexa.
Numa pirâmide representada em Três dimensões. O Plano mental/ espiritual é o invólucro central. O plano emocional é o invólucro mediador e o físico o invólucro mais externo.
A qualquer momento o centro de gravidade tenderá a se apoiar num determinado local. Com o tempo os estímulos morbíficos ou os tratamentos supressores, podem mudar o centro de gravidade.
Quanto mais se progride para determinado plano, tanto mais se atinge o organismo.
Os planos refletem diretamente uns nos outros.
Analisemos:
Fobias e depressão Suicida/Sintomas neurológicos: plano mental/espiritual
Irritabilidade, impaciência, teimosia: plano emocional
Disfunção do fígado: irritabilidade, indignação/ emocional, comportamental e físico.
Erupção na pele: plano físico(conseqüência dos planos acima) pois a pele é drenador inteligente e dinâmico.
A Homeopatia age de forma inteligente. Se suprimimos a erupção na pele, atacamos um órgão(pulmão, aparelho espiratório,etc). Do plano mais externo para o plano interno. A medicina alopática tem esse conceito suprimir, reprimir(esconder, encobrir) o exterior, não se importando com a causa(pensar, sentir e agir).
Um cliente psicótico que se queixa de muitos e grandes medos e de depressão suicida, veremos que o centro de gravidade de sua perturbação está no plano emocional. Tomando o histórico do caso, torna-se evidente que existem outros sintomas que afetam também o nível físico, mas em um grau bem menor. O Cliente é tratado com sucesso na Homeopatia, diminuindo consideravelmente o estado psicótico. Depois de seis ou nove meses, no entanto, desenvolvem-se sintomas neurológicos como diplopia, contração muscular, fraqueza e entorpecimento de certas áreas. Vemos que o centro de gravidade da perturbação moveu-se em direção à periferia, mas num nível que está logo abaixo do nível correspondente dos sintomas emocionais anteriores. Continuando o tratamento, os sintomas neurológicos cedem, mas o cliente, embora não mais psicótico torna-se muito irritável e de difícil convívio; o centro de gravidade moveu-se novamente para o centro(plano emocional), mas num nível de correspondência ainda mais baixo, se comparado com a totalidade dos sintomas iniciais. Com a continuação do tratamento, a irritabilidade cede e o paciente desenvolve uma disfunção no fígado, de intensidade moderada. Finalmente prosseguindo o tratamento, o problema do fígado desaparece, manifestando-se uma erupção na pele, permanecendo por alguns meses, desaparecendo em seguida. Depois desta progressão, o homeopata,acompanhando o caso de perto e se caso não houver nenhum choque extremo no sistema ou interferências de terapias impróprias, o cliente restabelecerá a saúde.
Embora essa construção pareça complexa e exija uma tremenda quantidade de confirmações, ela é contudo uma imagem útil e deve-se tê-la em mente ao avaliar os diferentes tipos de casos, classificando o emaranhado de mudanças no decorrer do tratamento, aparentemente aleatórias e confusas com observação, tendo uma visão ímpar de que cada cliente é único, mesmo tendo a mesma “patologia”.
As observações sistemáticas feitas por “entrevistadores homeopatas” cuidadosos tornarão os detalhes dessas correspondências e hierarquias mais refinados, de forma que os “futuros homeopatas” terão um instrumento preciso para avaliar o progresso do cliente, até mesmo com exatidão maior do que a proporcionada pelos testes de laboratório; um instrumento derivado apenas dos sintomas comunicados pelo cliente.
A moderna fisiologia e a medicina psicossomática documentaram muito bem o fato de existirem correspondências entre os planos emocional e físico. Estudos de eletroencefalogramas e de biofeedback confirmam que a intensa concentração mental, ou a meditação, aumentam a circulação no cérebro, enquanto produzem relaxamento da musculatura e abaixam a pressão do sangue. O estado de medo cria palpitações, secura na boca, diminuição dos movimentos peristálticos, transpiração nas palmas das mãos, dilatando as pupilas, etc. Uma emoção agradável como o amor entre duas pessoas cria dilatação periférica dos vasos sanguíneos, rubor, palpitações do coração e excitação emocional e mental. O Choque de uma perda, poderá desencadear processos crônicos antigos. Quando o indivíduo tem uma pré disposição em algum órgão ou plano, a suscetibilidade individual desencadeará uma doença aguda.
Todo estímulo, toda emoção e todo pensamento tem um efeito correspondente, em certo grau, em todos os níveis do corpo simultânea e instantaneamente.
Todo pensamento e toda a emoção possuem um local correspondente que os “favorece” no corpo físico. Essa área é afetada, positiva ou negativamente, dependendo da natureza do pensamento ou da emoção a ela correspondente. Um indivíduo que passa pelo estresse do rompimento de um caso de amor provavelmente virá a sofrer sintomas cardíacos; uma outra pessoa, com dificuldades nos negócios está sujeita a desenvolver uma úlcera péptica. (depende da suscetibilidade individual e da pré disposição). Pensamentos e emoções negativos retardarão o funcionamento do órgão ou sistema correspondente, ao passo que, se forem positivos, fortalecerão a função do órgão correspondente.
Exemplificarei dois exemplos, leiam com atenção sem a interferência individual, apenas observatória:
Uma mulher foi levada pelos pais, extremamentes religiosos, a considerar o sexo como algo horrível que devia ser excluído de seus pensamentos a qualquer custo(grau de desequilíbrio extremo- supressão e repressão). Ao procurar o homeopata, queixava-se de crescimento excessivo de pêlos, em partes incomuns de seu corpo, como no peito, no abdômen e nas costas, enquanto havia uma queda acentuada de cabelos, que beirava a calvície; além disso, depois de uma menarca atrasada, ela passou a ter menstruações dolorosas e irregulares, sempre atrasadas. Enfim, depois do casamento, novo problema veio juntar-se aos demais: sérias doenças de cabeças. Nesse caso a supressão do instinto sexual no nível mental levou a um desequilíbrio de testosterona/ estrogênio, resultando numa distribuição masculinizada de pêlos. Essa supressão evoluiu para outro sintoma a nível mental: aversão ao sexo. O casamento produziu inevitavelmente mais estresse nesse já enfraquecido nível, causando mudanças nos níveis emocional e físico correspondentes: sensação de insatisfação no casamento, juntamente com dores de cabeça muito fortes(em substituição a queda de cabelos). Originalmente, o mecanismo de defesa foi capaz de estabelecer um equilíbrio, limitando os sintomas ao nível endócrino; mas o acréscimo de estresse devido ao casamento perturbou esse equilíbrio e forçou o mecanismo de defesa e restabelecer os sintomas num nível um pouco mais profundo e mais nocivo. Podemos ver claramente a supressão do sexo desencadeando efeitos diversos; o corpo físico é uma máquina comandada pelo mental/emocional e emocional. Claro que o desequilíbrio sexual também é extremamente adoecedor. Ter o comportamento adequado, equilibrado seja em qualquer situação ou desafio, nos torna fortes e imunes às “doenças em todos os planos: mental/espiritual, emocional e físico. Temos “Escolhas”!
Outro exemplo:
Um jovem, desenvolveu excessiva rigidez na nuca enquanto se preparava para entrar na universidade. O curso por ele escolhido era muito árduo, e ele sentia grande ansiedade a respeito de sua capacidade para completá-lo com sucesso. Em linhas gerais, pode-se dizer que existem dois centros no corpo físico que correspondem, mais de perto, aos níveis mental e emocional do ser humano: o coração e o cérebro. Nesse caso, o jovem optou por um curso a respeito do qual ele sentia grande incerteza no plano emocional. A nuca parece ser o principal caminho relacionado ao cérebro e ao coração no nível físico; dessa forma, o conflito mental/emocional que se manifestou criou dor física na região desse caminho.
Os sintomas podem saltar de um invólucro periférico para um mais central. Isso pode ocorrer se o mecanismo de defesa for fraco, se ocorrer um choque emocional ou se for empregada uma poderosa terapia supressora.
Ele pode mudar, de forma linear, dentro da hierarquia de um mesmo nível, com mínimas mudanças correspondentes nos outros níveis. Se, por exemplo, os sintomas se moverem de um nível do plano físico para um nível mais elevado do mesmo plano, pode-se dizer que o mecanismo de defesa nos planos mental e emocional foi suficientemente saudável para restringir o efeito do estímulo morbífico em nível físico.
Uma mulher que sofria de eczema havia muitos anos passa a utilizar, sob receita médica, um ungüento à base de cortisona, que ela aplica religiosamente durante três anos. O eczema é controlado enquanto o ungënto é aplicado, mas a cliente nota um aumento gradual do mau humor e da irritabilidade e um desejo limitar seus contatos sociais apenas a alguns poucos amigos. O centro de gravidade, neste ponto, moveu-se do nível físico para o emocional; portanto, o tratamento foi supressivo. Finalmente, ela começa uma forma benéfica de prática de meditação, e em poucos meses começa a sofrer de rinite alérgica. Esse sintoma representa progressão, novamente, para o plano físico, mas num nível mais profundo do que o epidérmico, isto é, as membranas mucosas. O mau humor e a irritabilidade são aliviados; em contrapartida, ela sofre agora de uma incômoda rinite alérgica com manifestações ocasionais de sinusite aguda. Se a rinite for ainda mais suprimida por anti-histamínicos, injeções antialérgicas, antibióticos, ou até injeções intranasais de cortisona, a cliente experimentará outra vez uma deterioração mais marcante no plano emocional, ou no nível físico, com o desenvolvimento de uma bronquite asmática. Dessa maneira, pode ocorrer uma degeneração linear da saúde no mesmo nível,ou, então, o centro de gravidade pode voltar ao nível emocional, sinal que indica um prognóstico mais desencorajador.
A relação das etapas durante um caminho patológico há muito é conhecida pela medicina ortodoxa, no nível físico da sintomatologia. Os diferentes tipos de câncer disseminam-se por metástase a partir de determinados órgãos: câncer do seio para os nódulos linfáticos regionais, pulmão, ossos e cérebro; câncer da próstata, para o sistema linfático e ossos da pélvis, que atinge em seguida a espinha; câncer do pulmão para os nódulos locais, sistema nervoso central, ossos longos, rins, supra-renais e pele. Os distúrbios auto-imunes afetam de forma característica certo tecidos com exclusão de outros: a febre reumática e problemas reumáticos de outros tipos produzem faringite estreptocócica, degeneração da válvula do coração, nefrite glomerular, artrite reumatóide, etc.; o lupus eritematoso produz erupções de pele características, nefrite, colite, artrite, hepatomegalia e esplenomegalia, e pericardite. No incipiente campo da medicina psicossomática tem-se notado muitas correspondências entre os estados emocionais e as enfermidades físicas: a melancolia corresponde à disfunção do fígado; a irritabilidade suprimida está relacionada com a úlcera péptica; a ansiedade suprimida comumente é percebida na colite ulcerosa; tipos de personalidades anal-retentivas tendem a sofrer de constipação e hemorróidas; personalidades do “tipo A” tem um tipo particular de sangue e uma incidência maior de hipertensão e infarto precoce do miocárdio; e enfim, as personalidades compulsivas, como: raiva, ódio, mágoa, tem propensão para o câncer.
Cabe a observação:”não podemos generalizar”, mas sabemos da responsabilidade que cabe a cada um de nós da auto-observação constante de nossos atos, comportamentos, sentimentos e ações gerando grandes adoecimentos “efeito dominó”; não só nos atingindo, mas a sociedade como um todo.
Continuemos nossa observação plainando sobre “Tempo é Dinheiro”, ou “Mato um Leão Por Dia” para “sobreviver neste mundo”. Justamente isso: o ser humano ainda não parou para se observar que “apenas” está sobrevivendo numa vida “sub humana” esperando a morte chegar.
Não podemos em hipótese alguma transferir a culpa de situações que estão ocorrendo perto ou longe para assim encobrir os rombos que produzimos constantemente com nosso “orgulho”. “Chaga da Humanidade”. Mais uma vez digo: Temos escolha! Qual a Sua?
A homeopatia é o tratamento que engloba o ser humano como um todo.

“A Divina Arte de Cura”
Samuel Hahnemann

Procurem vossos caminhos, não digo que é fácil, mas estejam certos de que se souberem ler a própria história de vida, com certeza serão “HOMENS GRANDIOSOS”.

Estou sempre perto para o que precisarem,

Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata


CICUTA VIROSA

São três as cicutas: Cicuta virosa ou Aquática(salsa dos loucos); o Conium Maculatum (Cicuta officinalis) e Aethusa sinapium...