quarta-feira, 4 de novembro de 2015

ZINCUM METALLICUM










O nome provavelmente deriva da palavra alemã “Zink”, que significa metal. Foi descoberto no século XVI por Paracelsus.
Zincum  Metallicum é um metal sólido, laminado, maleável, de cor branca azulada. É quebradiço e seco até mais ou menos 200°, logo só pode ser deixado a uma temperatura intermediária. No ar úmido cobrindo de uma ligeira camada de hidrocarbonato aderindo fortemente ao metal, impedindo outras oxidações. Quando aquecido, queima em chama verde, fornecendo óxido de Zinco (ZnO).
A exposição ao ar causa oxidação, mas a camada inicial de óxido impede que a oxidação progrida. É utilizado para fazer camada de proteção, como em calhas, por exemplo.

O Zincato de Natrum, NaZnO4, é utilizado como amaciante da água.

Este metal é bastante abundante na natureza, mas sempre em combinação  
Poucos práticos o usavam granulado contra a tênia e como meio puramente mecânico para combater este enterozoário. E se  muitos de seus compostos figuram em fórmulas atuais, o Zincum Metallicum não tem espaço. Foi Hahnemann que encontrou seu lugar na terapêutica, e depois de seus trabalhos os homeopatas obtiveram muito sucesso graças a este remédio.

 AÇÃO GERAL DO MEDICAMENTO

Zincum Metallicum age sobre o conjunto do sistema simpático é cérebro espinhal, contudo sua ação é principalmente sobre o plexo do tronco e do baixo ventre, assim como nos feixes nervosos, que distribuem movimento e sensibilidade ao aparelho locomotor.
A primeira fase de sua ação consiste em uma exaltação da sensibilidade e contração, mas os efeitos espasmódicos ou convulsivos resultantes são passageiros, logo cedendo lugar a fenômenos astênicos:  fraqueza excessiva, insensibilidade geral, que são próprios de seu gênio e que se caracterizam pelo fato de que o Zincum Metallicum pode provocar, em certos casos, dores muito agudas ou determinar alterações nos fenômenos de inervação, sem que outras funções orgânicas sejam sensivelmente alteradas. Entretanto não se deve ignorar que na plenitude de sua ação, o zinco é antes de tudo um remédio depressivo, transtornando a nutrição a ponto de determinar caquexia e provocar a morte por paralisia do coração e pulmão.
Afeta de maneira especial, por intermédio do simpático, diferentes tecidos do organismo, especialmente mucosas e pele.
Nas mucosas leva a sintomas tóxicos, determinado por convulsões, nevralgias ou susto. E seus sintomas hipertóxicos, às inflamações subagudas das conjuntivas, uretra e vagina, com uma secreção serosa ou corrimento muco purulento, queimação prurido, sensação de escoriação e ardor.
Enfim, na pele, Zincum metallicum faz aparecer herpes secas, com crostas que caem ou úlceras herpéticas, cujas bordas irritadas estão rodeadas de pequenas bolhas furunculosas.

É o remédio das nevroses principalmente as do coração e dos pulmões.

Zincum apresenta sensação constante de inquietude nas pernas, movendo continuamente. Nervos excessivamente sensíveis, excitáveis e trêmulos, dores dilacerantes ao longo do trajeto dos nervos; estremecem e se excitam por qualquer coisa.
Zincum Metallicum reproduz o quadro do esgotamento cerebral ou nervoso, a antiga neurastenia, consecutiva a um estresse por causa de estudos prolongados ou uma atividade mental excessiva; a repetidas vigílias ou veladas noturnas. Tem uma dificuldade e lentidão para compreender e responder. Confusão mental, principalmente ao despertar. Acentuada fraqueza da memória com dificuldade de coordenação de seus pensamentos com escassez de ideias; estupidez progressiva e imbecilidade, sendo muito esquecido não recordando nem o que fez no dia. Antes de responder uma pergunta, sempre a repete, como se tentasse recordá-la ou fixa-la melhor, respondendo lentamente.  Crianças ou pessoas tontas, aparvalhadas e dóceis, depois de afecções meningoencefálicas; face inexpressiva. Estupor ou inconsciência quando não aparece o exantema nas doenças eruptivas, ou depois de erupções suprimidas. A criança repete tudo o que lhe dizem.
Hipersensibilidade ao menor ruído e as vozes, principalmente quando está dormindo, piorando quando pessoas falam, quer permanecer calado, com uma tendência a ficar sentado permanecendo quieto.
Atormenta a todos com suas queixas e suas doenças, geme e se queixa constantemente, principalmente de dia; tendo um modo de ser muito variável ou alternante, com tristeza e alegria, desespero e calma, cólera e pusilanimidade. Hipocondríaco, com moleza e aversão por ocupação. Depressão de todas as faculdades intelectuais , perda de memória, aversão ao trabalho, melancólico.
Irascibilidade e impaciência; irritável ao anoitecer, mal humor não quer falar com ninguém; tem explosões de ira, com uma grande inquietude. Ofendem-se facilmente.
Grita dormindo, com sobressaltos. Nas afecções cerebrais e meníngeas (grito cerebral). Sonambulismo, belisca as cobertas. Encontra-se por vezes, em casos fortes de problemas cerebrais, requerendo paciência. Muitas vezes, o indivíduo, se enterra gradualmente num estado negligente. Durante o dia, gira a cabeça no travesseiro, com o olhar apagado, seu corpo emaciado, o rosto murcho, aparecendo a cada dia mais velho. Língua seca, apergaminhada, encarquilhada como o couro, assim como os lábios. Perde urina e feses no leito.
Pode ter paralisia de mãos e pés, parecendo todo o sistema muscular paralisado. A dor o faz gritar, com gritos agudos e penetrantes. Alguns dias após tomar o remédio, terá abalos e tremores nas partes que estavam sem movimentos, sendo a ação do remédio, manifestando-se por uma transpiração copiosa, podendo vomitar, tendo a sensação de agravamento, mas não é. Retornando a sensibilidade aos poucos, é acompanhado de um formigamento das partes enfermas com a sensação de pinicar. Todos esses sintomas são a manifestação de cura (Lathoud).
Na meningite cérebro espinhal, o primeiro período é a congestão, sendo Belladona um atenuante, mas quando vem os sintomas mais fortes, Zincum Metallicum é o que atuará. (Lathoud).

Medo do anoitecer, da escuridão de ladrões, de fantasmas, de morrer, de cair. Muito ansioso, com um sentimento de culpa (com remorsos). Pensamentos na morte como se o fim estivesse perto. Apressado quando come ou bebe.
Insanidade ou mania por causa de erupções suprimidas. Ri excessivamente. Delírio violento; acredita que vão prendê-lo por um crime, ou que vão matá-lo, querendo fugir, custando muito para detê-lo. Impetuosidade. Afecções mentais místicas. Durante o delírio, pressiona constantemente o púbis ou toca os genitais.
Choro sem causa, tendência ao suicídio, timidez, ruborizando-se. Aversão ao trabalho e a caminhar.

SINTOMAS GERAIS
Movimentos automáticos e involuntários na boca, nos braços e nas mãos. O sintoma chave de Zincum Metallicum é nos pés: incessante e violenta inquietude e agitação nos pés e nas extremidades inferiores, movendo-os constantemente, mesmo contra a sua vontade e até dormindo, não conseguindo mantê-los quietos.
Há um acentuado déficit de vitalidade, estando demasiadamente debilitado para desenvolver os exantemas (Erupção cutânea que acompanha certas doenças infecciosas), tendo dificuldade de menstruar, urinar, expectorar, originando uma série de transtornos mentais e físicos. Essas erupções bem como sarampo, escarlatina por exemplo, podem aparecer lentamente ou até não aparecem ou são suprimidas.
Quando a menstruação flui, os transtornos melhoram, principalmente os nervosos e genitais; exceto convulsões e coreia.
Contrações e sacudidelas em músculos isolados; tremores violentos no corpo todo, principalmente depois de emoções e sustos. Mal de Parkinson e desmaios.
Não pode ficar tranquilo e muda constantemente de posição como em Rux Toxicodendron, pois o movimento alivia a dor, pois ele é nervoso.
Perda do controle dos movimentos mesmo não estando paralisado. Contrações e agitações de vários músculos. Espasmos.
Zincum metallicum pode apresentar uma reação muito rápida e intensa aos remédios; este poder de reação do organismo contra uma medicação qualquer, mesmo perfeitamente indicada.
Tem sintomas marcantes em cardíacos. Sensação de constrição em todo o peito. Palpitações cardíacas com pontadas e ansiedade. Irregularidades dos batimentos cardíacos. Pulso rápido. Veias varicosas principalmente nos membros inferiores.
Rigidez e dores nos músculos do pescoço. Dores e sensação de lassidão na nuca, como se o pescoço estivesse estado muito tempo na mesma posição. Agrava escrevendo e por qualquer movimento.
Sensação de ardor por toda a coluna vertebral. É uma sensação puramente subjetiva. Não podem suportar que o toquem nas costas, nem a menor pressão nas costas.
Vertigem como o da bebedeira, com tendência a cair dos lados. Fadiga cerebral. Dor de cabeça em estudantes cansados. Queda de cabelo com sensibilidade do couro cabeludo. Hemicrania após as refeições(dor de cabeça contínua, ataca uma parte da cabeça, enxaqueca).
Exagerado em seu trabalho: inquietude
Gostam de fazer seu trabalho, mas tendem a fazer demasiado. São extremamente inquietos, não conseguem parar e quando não tem nada para fazer, o corpo continua em movimento. Quando vão dormir, as pernas ainda estão em movimento; quando falam, a boca faz todo o tipo de movimento extra. Têm muitos tiques, mãos e pés inquietos, foram criados sob a ideia de que “não é bom ficar sentado sem fazer nada”, “vá e encontre algo útil para fazer”. Suas queixas pioram quando são forçados a fazer uma pausa, como nos finais de semana, feriados, mas também no final de um dia de trabalho e na hora de ir para a cama.
O rendimento intelectual é muito importante para eles. Sentem-se impelidos a ir muito bem na escola. Essa pressão para obter realizações pode, inicialmente, levar a resultados espetaculares, mas também pode levar ao oposto: embotamento mental. O impulso contínuo para adquirir mais conhecimento pode originar a sensação de não ter feito o suficiente. Então, ficam bloqueados e não conseguem mais pensar, sentindo que são os mais idiotas da classe.
A situação em geral é provocada por uma educação que enfatiza as realizações intelectuais. Eles devem obter notas altas na escola, caso contrário, não servem para nada. Geralmente os pais exercem essa pressão psicológica. O lado “racional”, começa a bloquear seus sentimentos, fazendo com que pareçam apáticos, sem emoções, inclusive frios.
Repetir é praticamente o mesmo que ensaiar, apesar que ensaiar está mais ligado a ideia aprender alguma coisa mais de uma vez. É o tipo de aprendizagem, aplicado frequentemente, no ensino médio: repetição incessante das mesmas lições até “decorá-las”. “Aprender de cor” é uma expressão interessante: é como se você bloqueasse seu coração, enquanto força conhecimentos para a cabeça. (Revisando, ensaiando)
Têm tendência a repetir, infindavelmente suas rotinas. Daí sua fascinação por computadores, pois o que eles fazem com precisão é repetir rotinas. Podem tornar-se viciados em jogos de computador ou em programação. Um dos usos mais comuns dos computadores é para calcular e arquivar registros e contas. Esse sempre foi o trabalho do guarda livros, o burocrata no sentido tradicional do termo.
A repetição leva ao automatismo; a realização de rotinas automáticas está tornando-se cada vez mais rápida nos computadores modernos. De fato, tornou-se tão rápida, que não conseguimos mais acompanhar seu avanço. Observemos então a inquietude de Zincum.
Uma outra observação: a raça amarela tem uma característica de racionalizar e repetir os mesmos comportamentos. Os jogos de “SUDOKU”, por exemplo. A cobrança intensa no aprendizado maquinal, robótico, onde não pode aparecer sentimentalismo.  O autoritarismo, perfeccionismo dentro de uma visão restrita e racional, extremamente supressora. Grandes catástrofes ocorreram no Japão onde se  observa  que a população mantinha-se firme, sérios, rígidos muitos sem demonstrar desequilíbrios, histerias ou choros. São excelentes matemáticos, objetivos em suas respostas e sua inteligência é a repetição exercida por excesso de pressão.
Copiar e repetir coisas pode levar à poluição. Há excessos por toda a parte, as pessoas continuam copiando indiscriminadamente e a papelada, acumulando-se. O mesmo acontece no mundo dos computadores, no qual a informação nova é acrescentada nos arquivos e ninguém se dá ao trabalho de checar se a informação antiga pode ser apagada.
A poluição, em nossa sociedade, se deve em grande parte, a um excesso de produção: cópias infindáveis realizadas por máquinas. Toda a iniciativa é sufocada bem cedo pelas máquinas burocráticas de nossa época: você precisa preencher pelo menos dez cópias de um formulário que será processado por tinta departamentos diferentes, e, mesmo assim, ninguém sabe quem pode dar a autorização que você precisa.
Nossa sociedade está poluída por regras excessivas. Tudo o que você faz é registrado e o registro é mais importante que os detalhes. Não importa se a informação é correta ou não, tudo está bem se estiver registrado num formulário.
O sentido de criação, maleabilidade, movimento e cor passa longe.
Nas provas, podem se sentir ansiosas com medo de fracassar. É um medo que pode acossá-las em sonhos durante anos. Sonham que fracassam nas provas.
Sentem que os outros estão tentando substituí-los no trabalho, especialmente quando as coisas não estão indo bem. Este sentimento é natural quando são substituídos de fato. Porém, eles podem sentir-se obstruídos quando ninguém estiver interferindo em nada, mas eles próprios estão travados, pois ficam repetindo os mesmos métodos antigos uma e outra vez. Mental analítico.
Eles trabalham de maneira incrivelmente árdua, mas não percebem que isso é a causa de seu fracasso. Quando fracassam, sentem-se culpados, como se estivessem cometido um crime. Sentem-se pressionados pelos superiores, pais ou professores.
Medos de: fracassar, cair, alturas, crítica, perseguido, oposição, observado, toque, antecipação, ladrões, ficar sozinhos, água, morte, escuro, fantasmas, assustando-se facilmente.
Muitas ilusões como se os objetos fossem duplos, que foram envenenados, estão sendo perseguidos, fugindo de assaltantes e que um homem corre com uma faca na boca.
Adoecem quando o chamam a atenção; se irritam quando é despertado, resmungão, se cobram em demasia.
Para Zincum buscar sempre com exaustão e muita disciplina e exagero. Observemos o metal endurecido, firme, resistente, seco, quebrando-se facilmente.
Procuremos nos equilibrar, observando-nos para que possamos estar em harmonia com a Natureza.
Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata









Nenhum comentário:

Postar um comentário

CANCRO, O MAL DO SÉCULO!

Começo minha explanação sobre o ser humano, onde fazemos parte da humanidade e somos compostos por órgãos que por sua vez, é...