quinta-feira, 1 de setembro de 2011

ANSIEDADE, O MAL DO SÉCULO






 Ansiedade, o mal do Século

A Homeopatia tem por princípio doutrinário que o adoecer está ligado a algum tipo de idéia errada de ser de cada  um.
Uma grande variedade de doenças são causadas por mágoas e sentimentos mal resolvidos do passado. Quem muito olha pra trás, não vive o presente e, conseqüentemente, fica sem futuro, tornando-se escravo do seu passado.
Existem clientes que trazem uma história clínica repleta de mágoas, ressentimentos e saudosismos. Arrastam para o presente, um desagravo ou decepção afetiva ocorrida há muitos anos, fazendo com que estes fatos se tornem inesquecíveis pra eles. Conservam seus dissabores e os vivem cada momento. Seus “fantasmas ou medos” do passado, são os responsáveis pelo adoecer. São conservadores sofredores constantes.

Hanemann: “Pessoa de humor melancólico, ele não pode apagar seu pensamento, calúnias que infringiu a outros ou que lhe foram infringidas, o que o deixa tão deprimido que não encontra prazer em nada. Atormenta a si próprio, continuamente procurando idéias desagradáveis, o que lhe aborrece.”

Hering: “Perseguido por pensamentos de uma coisa ruim vai acontecer. Tenta recolher fatos desagradáveis do passado com o propósito de pensar neles e indulgenciar o pesar que eles causaram. Ele conclui pelos olhares das pessoas, que era objeto de pena por causa do infortúnio e chora.”

Em filipenses 6:13,14 observa-se Paulo mostrando a importância de esquecer o que passou para assim alcançar um objetivo:

“Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.”

 Parágrafo 9: “Desta forma o espírito dotado de razão que reside em nós (Componente espiritual pensante) pode empregar livremente este instrumento vivo e sadio para atender os mais altos fins de nossa existência”. Organon, Samuel Hahnemann



“Portanto eu lhes digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com o seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa?Observem as aves do céu: não semeiam não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não tem vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja a sua vida? “Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé? Portanto, não se preocupem, dizendo: “Que vamos comer?” ou “Que vamos beber?” ou “Que vamos vestir?” Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. Portanto não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.” (Mateus 6: 25-34)

A abordagem psicossomática do cliente, traz a compreensão do quanto é maléfica a ansiedade e preocupações com o futuro. Prestamos atenção nos ensinamentos de Jesus Cristo, o médico dos médicos, nos dando uma verdadeira aula de comportamento humano, no sentido preventivo dos malefícios do viver com antecipação.

O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima.”(Provérbios 12:25)

“Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja a sua vida? Visto que vocês não podem sequer fazer uma coisa tão pequena, por que se preocupar com o restante? (Lucas 12: 25-26)
A separação do prefixo “pré” da palavra preocupação, esclarece que o significado exato da palavra é “ocupação antecipada”. Quando está preocupado, o indivíduo se ocupa com algo que não vai resolver naquele momento, mas que já está consumindo seu tempo e energia. É Natural que ocorra a preocupação com problemas a resolver. Não pode permitir que a preocupação, passe a dominar seus pensamentos. Preocupação excessiva vem regada de sentimentos como: frustração, angústia e medo, diminuindo a motivação e até mesmo a capacidade em tratar o problema.
Muitas pessoas vivem em estado de constante ansiedade e com isso tendem a ficar na maior parte do tempo mal-humoradas e ranzinzas; adquirindo com uma intensidade maior o stress, fadiga, sendo responsáveis pelo desânimo trazendo junto inúmeras doenças. Como exemplo clássico: “A Depressão” a Dita chamada “doença do século”.
O ansioso é o maior dos sofredores: sofre antes do fato ocorrer, durante o acontecimento e depois do ocorrido.
Os consultórios de psicólogos e psiquiatras, cada vez mais cheios. Pois o homem sofre mais com o resultado da depressão do que qualquer outra doença.
Em maior ou menor grau, em todos os seres ocorrem estados de inquietude que podem ser considerados como ansiedade, angústia primária, medo difuso, tristeza sem objeto determinado. São muito profundo tendo origem no mais distante nível da constituição da personalidade, tendo uma causa profunda; “razão pela qual quase todos os sistemas terapêuticos falham”. Na Terapêutica homeopática se trata o fundo latente do Ser, onde das muitas vezes não são percebidos pelo profissional alopático por sua formação mecânica de atuar. Tendo a percepção e trazendo à tona é necessário o medicamento homeopático como uma ferramenta imprescindível à cura.
A angústia existencial de início se faz sentir como um estado de desconforto indefinível, como algo sem causa aparente, pelo que a pessoa não oferece reações de defesa, sendo assim ela apenas sofre. Somente quando os estímulos se intensificam mais é que a mente lança mão de alguns mecanismos bem elementares, em nível que não pode ser considerado  como distúrbio de comportamento reprovável, ou menos ainda alguma doença mental. A isto a Psicologia chama de Mecanismo de Defesa do Ego, ou Mecanismo Hióicos de Defesa do Ego. Tendo a pessoa a possibilidade de libertar-se ou conviver com aquilo que o ameaça. Das muitas vezes, a convivência ganha espaço interno, alimentado pelo “EGO”  trazendo conseqüências profundas, desestruturando a Vida por completo.
Para que tenhamos uma vida plena, necessitamos da observação constante de nossos atos, pensamentos e sentimentos sem mascará-los. A Chave é a humildade, caridade e benevolência consigo própria e com todos que nos rodeiam.
Saibamos que quando reencarnamos trazemos uma série de situações mal resolvidas. Somos cobrados por nossa própria consciência e se estivermos ausentes de nós mesmos entraremos num completo adoecimento.
Temos escolhas. Qual é a sua?  

Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata

PHOSPHORUS Phosphorus é um corpo simples da família dos metaloides, que extraímos dos ossos calcinados pelo processo...