sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O QUE É O AMOR?......


                                                                


O Que é orar? Pensamos que orar é pedir alguma coisa, exigir, reclamar. Você tem desejos e Deus pode ajudá-lo a satisfazê-los. Você vai a porta de Deus para pedir alguma coisa, você vai como um mendigo. Para você, orar é mendigar. Mas orar jamais pode ser mendigar: a “prece só pode ser um agradecimento”, uma “gratidão”. E estas coisas são totalmente diferentes: quando você vai mendigar, sua prece não é um fim, é simplesmente o meio. A prece não é significativa, porque você está orando para obter alguma coisa. Essa alguma coisa é significativa, não a oração. E, muitas vezes você vai orar, e seus desejos não são realizados da “maneira que quer”. Então você deixa de orar, e dirá: “Inútil!”. Pois para você a oração é um meio.
A oração jamais pode ser um meio, exatamente como o amor, jamais pode ser um meio. O amor é o fim: você ama, não por alguma coisa, outra coisa; o amor em si tem um valor intrínseco.Você simplesmente ama. É tamanha benção! Não há nada além, não há nenhum resultado a ser divisado através daquilo. Não se trata de um meio para algum fim, o amor é o fim. E prece é amor, você simplesmente vai e desfruta não pedindo, não mendigando.
A própria prece, intrinsecamente, é tão bela! Você se sente elevado e feliz, que você simplesmente vai e dá graças ao Divino, pois “ele” permitiu-lhe ser, “ele” permitiu-lhe respirar, “ele” permitiu –lhe ver. Que Cores!.... “ele” permitiu-lhe ouvir, “ele” permitiu ser “Consciente” (Estar atento ao “SER” e não ao “TER”- as pessoas estão ligadas ao TER, por isso não sabem receber).
A vida é um presente. Você pode achar que está merecendo de algum modo? Se você não estivesse aqui, você poderia dizer que alguma “injustiça” tinha sido feita a você? Não! Tudo o que você conseguiu é um presente, existe à partir do amor.
“Suas ações passadas são refletidas no seu presente”. Mas se está refletindo algo que não goste aprenda a “perdoar” . Não esse “perdão” falso que as pessoas “dizem que fazem”.... O Perdão é sublime está ligado intimamente no amor divino.

Que é Deus?
Deus é a Inteligência Suprema, causa primária de todas as coisas. (Allan Kardec)
O Universo é Dual. Masculino, Feminino. Deus é uma energia Inteligente  e Suprema ....
A palavra “Deus” para mim, se torna “pequena” diante da imensidão de tudo. Em tudo, em Todos. Não só nesta galáxia onde moramos ....mas em Tudo. “Deus” é amor. Quando você compreende isso, uma qualidade nasce em você: a qualidade de ser grato. Você simplesmente sente gratidão. Gratidão é prece. A prece é o clímax de sua felicidade, ela não pode se tornar um meio de algum outro fim.
O que é seu amor? Porque, através do amor, você pode compreender o que acontece na prece. Você ama uma pessoa realmente? Você ama, ou há algo mais ali? Quando você ama uma pessoa, você realmente a ama? Você dá a partir do seu coração, ou você explora o outro em nome do amor?
Você usa o outro em nome do amor. Pode ser sexual,pode ser algum outro uso, “mas você usa o outro”. Usa o “amor” como base de troca. Eu amo você, pois você me dá isso ou aquilo!
Isso é exploração. Você chama de amor? Quando um não compreende o outro. Acabou o amor?
Se o outro o aprecia, se uma bela mulher o admira e você sente, que você é um homem. Mas se ela não o aprecia, não o admira, o amor desaparece. Se um belo homem,um homem forte, a admira como uma bela mulher, você se sente gratificada porque o “ego” fica preenchido!
Você chama de amor? E se isso cria um inferno, não há porque se surpreender: tem de criar o inferno, porque o amor é simplesmente o nome e, sob o nome, alguma outra coisa está escondida. O amor jamais cria o inferno, o amor é a própria qualidade do “Céu”.
Mas olhe para os amantes: eles não parecem estar felizes, somente no começo, quando ainda estão planejando, sem saber, inconscientemente, jogando a rede para fisgar o outro; mas a poesia, o romance e toda a insensatez existem simplesmente para fisgar o outro. Uma vez que o peixe seja fisgado, então, eles ficam infelizes, sentem-se como se estivessem numa prisão. O ego de cada um se torna uma prisão, e ambos tentam dominar e possuir o outro.
Esse amor se torna condenação. S seu amor está errado, sua prece não pode estar certa, porque prece significa amor ao todo, e se você tem sido um fracasso no amor com um ser humano comum, como poderá ser bem sucedido no seu amor com o divino?
Se você olhar a todos sem distinção de “poder”; ou seja, ver as pessoas como são com seus erros e acertos e Ver “Deus” dentro de cada uma delas e “respeitar” a cada um em seu momento, poderá começar a amar de verdade.
A dimensão é maior, mas a chave permanece a mesma. Aceitação! De quem você realmente é!Não do que você desempenha na Terra. São outros valores. O amor é um fim em si mesmo e não há nenhum ego envolvido nisso. Quando você está sem “ego” há amor. Onde está o amor? Você dá amor, sem pedir retorno. Dar é ser Amor, mas quando não houver barganha.
Você já observou o que acontece em seu íntimo quando você dá algo a um mendigo?Surge da bondade ou do ego? Se você está sozinho na rua e chega um mendigo você diz: Vá embora! Ou nem olha. Porque não há ninguém vendo o que você está fazendo ao mendigo, e seu ego não é ferido de modo algum. Mas se você está andando com alguém, com certeza o ego precisa se mostrar bom “caridoso” aí, você olha e dá!
A bondade dá por uma razão diferente: você sente a miséria do outro(da alma). Sente a responsabilidade. Porque o “todo” é responsável pelas partes. E se você dá a esse mendigo, você não irá querer que ele o agradeça. Ao contrário, você é que deve ficar agradecido. Isso é bondade. Não tenha dó! Mas misericórdia. Faça sua parte, mude e resplandeça em amor... Mudança é a chave!
A sociedade continua e você tem muito investimento na sociedade que “Cria Mendicância”. E você sabe que faz parte desse sistema estabelecido no qual existem pessoas pobres, porque o rico não pode existir sem o pobre. E você sabe bem que tem ambições de se tornar rico “poder”. Inconscientemente você sente culpa, sente o pecado(que o ego criou). Você não sabe o que está dando! Isso é profundo. Criamos uma sociedade de culpa, medo, condenação, ambição, fracasso, angústia, perda.... esse é o alimento diário de nosso espírito. Achamos que vivemos numa realidade. Que tudo isso é real. O “Ego” nos mostra! Criamos o sofrimento, o amor egoísta, a mendicância. Realmente sabemos amar. A felicidade que conhecemos está no “TER” e não no “SER”. Podemos nos considerar mendigos....
O Que amamos? Quem amamos? O que é o Amor?......
Patricia Jorge Alves
Terapeuta Homeopata


                                                             

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CANCRO, O MAL DO SÉCULO!

Começo minha explanação sobre o ser humano, onde fazemos parte da humanidade e somos compostos por órgãos que por sua vez, é...