quinta-feira, 16 de setembro de 2010


A CRISE MORAL

"Nossa época é de perturbação e transição..."
A época em que vivemos é grande pela soma dos progressos realizados. Se os progressos na ordem física e na ordem intelectual, são notáveis, é, pelo contrário, nulo o adiantamento moral. O Mundo recua; as sociedades humanas, absorvidas pelas questões políticas, pelas atividades industriais e financeiras, sacrificam os seus interesses morais ao bem estar material.  Sem dúvida, ela conseguiu, mas até certo ponto. Multiplicou as necessidades, aguçando os apetites, os desejos, favoreceu o sensualismo e aumentou a depravação. O amor do prazer, do luxo, das riquezas tornou-se mais e mais ardentes, dando suma importância aos bens materiais como uma forma de satisfazer e complementar a falsa felicidade.
A embriaguez, a prostituição, o deboche por toda a parte derramam seus venenos, esgotam a vida em sua fonte e enervam as gerações, enquanto os jornais semeiam a injuria, a mentira, e simultaneamente, uma literatura criminosa vai excitando os cérebros e debilitando as almas.
A desesperança e o suicídio fazem novas devastações. Um grande número de suicídios aumentando a cada ano. O número de crimes e delitos triplicou consideravelmente. Muitos adolescentes são os causadores, e nada os acontece. De quem é a culpa? Da família? Da Sociedade? Do governo?
Através do progresso da ciência e do desenvolvimento da instrução, o homem se ignora a si próprio. Sabe pouca coisa das Leis do Universo, nada sabe das forças que estão em si. O conhece-te a ti mesmo, do filósofo grego, ficou para a imensa da maioria dos homens, um apelo estéril. O Ser Humano ignora sua própria existência. Nenhum ensino veio dar-lhe a noção exata de seu papel neste mundo, de seus deveres e de seus destinos.
A Ciência materialista, com frias negações e exagerada inclinação para o individualismo, sem entender a real necessidade do ser humano.
No meio dessa confusão de idéias, a consciência perdeu sua bússola e sua rota. Ansiosa, caminha ao acaso, e na incerteza que sobre ela pesa.
As conseqüências deste conflito fazem sentir-se por toda parte: na família, no ensino e na sociedade.
Como sairá a humanidade desse estado de crise¿ Para isso só há um meio: achar um terreno de conciliação onde essas duas forças: o sentimento de Amor Puro e a razão, possam unir-se para o bem e a salvação de todos. Todo ser humano tem essas duas forças. Para terminar esse conflito, é necessário que a luz se faça aos olhos de todos, grandes e pequenos, ricos e pobres, homens, mulheres e crianças; é preciso que um novo ensino popular venha esclarecer as almas quanto a sua origem, aos seus deveres e destinos.
Tudo está nisso. Só essas soluções podem servir de base a uma educação viril, tornar a Humanidade verdadeiramente forte e livre. Sua importância é capital, tanto para o indivíduo a quem dirigem em sua tarefa cotidiana como para a sociedade, cujas instituições e relações elas regulam. O homem faz do Universo, das suas leis, o papel que lhe cabe neste vasto teatro, reflete-se sobre toda a sua vida e influi em suas determinações. As Leis são cumpridas. Causa e Efeito ; Ação e Reação. A todo momento somos testados pela nossa conduta, nossos pensamentos e quem somos realmente.
A miséria Humana em que estamos é o projeto de nosso Ego. O poder controlador de tudo e de todos. Suprimir, controlar, as ditas”verdades” que são impostas pela sociedade e por todas as instituições. Pergunto: Quem Somos Nós? Qual meu objetivo? Qual meu propósito? Qual meu foco? Hajo com a verdade Universal? Uso o verdadeiro amor incondicional ou o amor egoísta?
Para levantar o nível moral, para deter a dupla corrente da superstição e do cepticismo, que arrastam igualmente à esterilidade, é preciso uma nova concepção do mundo e da vida que, apoiando-se no estudo da Natureza e da consciência, na observação dos fatos, nos princípios da razão, fixe o alvo da existência e regule nossa marcha para adiante. O que é preciso é um ensino do qual se deduza um incentivo de aperfeiçoamento, uma sanção moral e uma certeza para o futuro.
Se estudarmos as leis da Natureza, se procurarmos o princípio das verdades morais que a consciência superior nos revela, se pesquisarmos a beleza ideal em que se inspiram todas as artes,em toda parte e sempre, acima e no fundo de tudo, encontramos a idéia de um Ser superior, de um Ser necessário e perfeito, fonte eterna do Bem, e do Belo e do Verdadeiro, em que se identificam a Lei, a Justiça e a Suprema razão.
A verdadeira cura de todos os males é o Amor.
O Amor é o sentimento superior em que se fundem e se harmonizam todas as qualidades do coração; é o coroamento das virtudes humanas, da doçura, da caridade, da bondade; é a manifestação na alma de uma força que nos eleva acima da matéria, até alturas divinas, unindo todos os seres e despertando em nós a felicidade íntima, que se afasta extraordinariamente de todas as volúpias terrestres.
Amar é sentir viver em todos e por todos.
Se quiserdes saber o que é amar, considerai os grandes Mestres da Humanidade.  O  Amor é toda a Moral. Uma disposição sincera para ajudar nos momentos precisos a todos que nos rodeiam, estendendo-lhes um pouco de auxílio.
Não se pode progredir isoladamente. É imprescindível viver com os outros homens, ver neles companheiros necessários. O bom humor constitui a saúde da alma. Deixemos o nosso coração abrir-se as impressões sãs e fortes. Amemos para sermos amados!

Patricia Jorge Alves
Atenemg 1498
Conahom 1081
Terapeuta Homeopata
31/08/2010


Nenhum comentário:

Postar um comentário

PHOSPHORUS Phosphorus é um corpo simples da família dos metaloides, que extraímos dos ossos calcinados pelo processo...